X SEMANA DE ASTRONOMIA DE SERGIPE

Relatório não oficial. Elaborado por Jaelsson.

A X Semana de Astronomia de Sergipe (X SEASE) foi realizada em Aracaju/SE, nos dias 29 de novembro a 01 de Dezembro de 2019. O início das atividades aconteceram  no dia 29 de Novembro com  uma observação com  telescópios em frente a Casa de Ciência e Tecnologia da Cidade de Aracaju  (CCTACA – Galileu Galilei). Em seguida, houve a abertura oficial do evento na Experimentoteca da CCTECA. Todas as atividades do evento foram realizadas  na Casa de Ciência e Tecnologia da Cidade de Aracaju. O Encontro contou com a participação de astrônomos amadores e profissionais, estudantes e entusiastas da astronomia e astronáutica de Sergipe.

Figura 1. Cartaz de divulgação

Fonte: Elaborado pela SEASE.

A primeira Semana de Astronomia de Sergipe (I SEASE) ocorreu no período de 30 de Novembro a 3 de Dezembro de 2010, na cidade de Aracaju, na Casa de Ciência e Tecnologia da Cidade de Aracaju (CCTECA – Galileu Galilei), no estado de Sergipe. A penúltima edição, a IX SEASE, foi realizada em Aracaju/SE, nos dias 29 de Novembro a 02 de Dezembro de 2018, na CCTECA – Galileu Galilei. Relatórios de algumas edições anteriores disponível em: https://memoriasdaastronomiaemsergipe.wordpress.com, no menu: SEASE>EVENTOS>SEMANASEASE.

A “Semana SEASE” surgiu com o objetivo de homenagear o “dia do Astrônomo”, 2 de Dezembro, a data coincide com o aniversário do imperador Dom Pedro II, que era um conhecido incentivador da Astronomia, além disso, é aniversário do Professor Augusto Cesar, sócio fundador da Sociedade de Estudos Astronômicos de Sergipe (SEASE). O objetivo da “Semana SEASE” é integrar os grupos de astronomia e desenvolver ações que visem à popularização, o ensino e pesquisa em Astronomia em Sergipe. A carência nesta região, em relação a esta ciência, é conhecida por todos. Os grupos de Astronomia são, em muitos casos, os únicos organismos com os quais a sociedade pode contar para sua difusão. Mas a atuação dos grupos sem apoio institucional tem um alcance bastante limitado. Por isso, os encontros objetivam, também, estreitar os laços entre as associações de astronomia e as instituições que tenham a finalidade de promover a educação e a cultura.

O evento X SEASE foi realizado pela Sociedade de Estudos Astronômicos de Sergipe (SEASE) por meio de seu presidente Ivo Matias Campos e demais membros da diretoria e sócios, pela Casa de Ciência e Tecnologia da Cidade de Aracaju (CCTECA – Galileu Galilei) representada por seu coordenador Augusto Cesar Silva Almeida. Logomarcas das instituições organizadoras, abaixo:

 Sociedade de Estudos Astronômicos de Sergipe (SEASE)
Casa de Ciência e Tecnologia da Cidade de Aracaju (CCTECA – Galileu Galilei)

 A abertura se deu  por volta de 19h30 do dia 29 de Novembro. Augusto César Almeida, representante da CCTECA e da SEASE declarou  como iniciado o evento e deu boas vindas ao público presente e abriu falando sobre o histórico das “Semanas SEASE”, de sua importância, e da programação, além da perspectiva para o transcorrer do evento.

Figura 2: Augusto César Almeida durante o final do  pronunciamento na cerimônia de abertura, na  X SEASE.

Fonte: Arquivo SEASE.

O primeiro dia de evento foi iniciado, às 18h do dia 29 de novembro de 2019, com uma observação com  telescópios da conjunção Vênus/Júpiter/Saturno/ Lua em  frente à Casa de Ciência e Tecnologia da Cidade de Aracaju, antes do pronunciamento de abertura do evento.

Figura 3: Observações com telescópios em CCTECA – X SEASE

Fonte: Foto tirada por Jaelsson, colaborador da SEASE.

Figura 4: Observações com telescópios em CCTECA – X SEASE

Fonte: Foto tirada por Jaelsson, colaborador da SEASE.

A apresentação da palestra de abertura, logo após o pronunciamento de abertura por Augusto Almeida, iniciou às 19h35, foi proferida pelo sócio da SEASE Enzo Maia, com o tema: “Grupo de Astronomia Singularidade”.

Enzo deu início a apresentação falando da história do Grupo de Astronomia Singularidade (Gás), que foi fundado 16 de maio de 2017 por Vinícius Gama, Gabriel Reis Santana, Brendaw Cardoso e Enzo Rafael Prado Maia Santos (o atual presidente). Ele afirma que a ideia de fundar o grupo surge depois de uma conversa na biblioteca do Instituto de Educação Rui Barbosa (Antiga Escola Normal), que a até então estava o Centro de Excelência Atheneu Sergipense em 2017. O grupo pertence ao Atheneu Sergipense, graças a um projeto implementando na escola em 2017. Um marco para história do colégio, pois foi o primeiro grupo de astronomia implantado oficialmente no mesmo. Sendo o Atheneu a primeira instituição pública de ensino do estado de Sergipe, fundado em 1870. Atualmente o grupo conta com 20 membros. O primeiro equipamento do grupo foi um telescópio de 60 mm, obtido por doação ao grupo. Em 2018, a atividades do grupo se concentrou em atividades de lançamentos de foguetes na primeira amostra de astronomia do colégio. Em 2019, em parceria com SEASE o grupo realizou uma observação solar na II amostra de astronomia. A discussões e estudos do grupo se baseiam  nos livros “Astronomia e Astrofísica” de Kepler de Sousa, “Fascínio no Universo” de Augusto Damineli e João Steiner e “A Teoria da Relatividade Especial e Geral”, Albert Einstein , além dos os canais do Youtube: Ciência todo dia, Space Today,  e Astrotubers. As reuniões do grupo acontece em alguma das salas ou emlaboratórios  na dependências do colégio e sempre na presença de um professor da escola.

Figura 5:Enzo Maia, durante sua apresentação após a cerimônia de abertura  da X SEASE.

Fonte: Foto tirada por Jaelsson, colaborador da SEASE.

Em seguida, às 19h55, foi vez da apresentação do Mestrando em computação e sócio da SEASE Eric Rocha, com o tema“Identificação de Estrelas T Tauri: Uma abordagem de Inteligência Artificial”.

A abordagem desta apresentação foi fundamentada em seu trabalho de mestrado  que está sendo desenvolvido na UFS, na área de computação. Trata-se do uso da inteligência artificial com a técnica baseada em florestas de redes neurais profundas. A linguagem de programação usada é a Python 3.7,  algumas das bibliotecas do python usadas são: numpy, scipy, astropy etc. O palestrante falou das dificuldades que é o projeto e que este está em fase inicial ainda. A proposta do projeto é usar a “inteligência” de robô para identificar padrões e classificá-los futuramente os objetos de estudos.

Figura 6: Apresentação de Reric Rocha  “Identificação de Estrelas T Tauri: Uma abordagem de Inteligência Artificial”, durante a X SEASE.

Fonte: Arquivo SEASE.

Depois da apresentação da palestra, houve uma pausa para o coffee break e assim finalizou-se as atividades do dia.

Figura 7: Foto do coffee break. após o termino da apresentação  com Eric Rocha, finalizando o primeiro dia de evento.

Fonte: Arquivo SEASE

No segundo dia, 01 de Dezembro de 2016, as atividades começaram às 18h30, com uma palestra com o Prof. Dr. Rodrigo vieira (UFS/DFI) sobre o tema: “Estrelas Be: No limite da rotação estelar”.

Nesta palestra a abordagem ficou em torno de Estrelas Be, explorando o que os efeitos rotação pode causar na estrela deste tipo.  Sendo a rotação identificada a partir do efeito. O palestrante ainda mencionou que estrelas do tipo Be também tem uma linha de emissão causada pela presença de gás nos discos da estrela. Esses discos possivelmente foram gerados por conta da rotação na estrela e por se tratar, possivelmente, de um sistema composto por mais de uma estrela.

Figura 8: Palestra com o Prof. Dr. Rodrigo vieira (UFS/DFI) sobre o tema: “Estrelas Be: No limite da rotação estelar” – X SEASE.

Fonte: Arquivo SEASE

Figura 9: Palestra com o Prof. Dr. Rodrigo Vieira (UFS/DFI) sobre o tema: “Estrelas Be: No limite da rotação estelar”. – X SEASE.

Fonte: Arquivo SEASE.

Depois da palestra com Rodrigo Vieira  houve uma pausa para o coffee break.

Figura  10: Foto do coffee break. do segundo dia de evento logo após o termino da palestra com o Prof. Rodrigo Vieira.

Fonte: Arquivo SEASE

Em seguida, às 19h53, houve outra palestra com o Prof. Dr. Diogo Souto (DFI/UFS) intitulada “Exoplanetas, a busca por uma nova Terra”.

Nesta palestra foi apresentado um apanhado sobre diferente métodos de detecção de exoplanetas:  trânsito, velocidade radial,  microlenteamento,  imageamento direto, astrometria etc. Além, de algumas formas como caracterizar atmosferas de exoplanetas, a exemplo de espectroscopia de transmissão. Por último, o palestrante mostrou diferentes exoplanetas que estão dentro ou próximos da zona habitável.

Figura 11: Palestra do Professor Dr. Diogo Souto (DFI/UFS) intitulada “Exoplanetas, a busca por uma nova Terra” – X SEASE.

Fonte: Foto por Jaelsson.

Figura 12: Palestra do Professor Dr. Diogo Souto (DFI/UFS) intitulada “Exoplanetas, a busca por uma nova Terra” – X SEASE .

Fonte: Foto por Jaelsson.

No terceiro dia de evento, finalizando as apresentações da X SEASE, às 18h53, deu início à penúltima apresentação do evento com Aryelle Carvalho, Victoria de Santana, Alexandre Henrique e o Prof. Douglas Leite (CAILA/IFS-Lagarto), com o tema: “Astronomia Itinerante: Acões de divulgação e práticas da ciência astronômica no centro-sul sergipano”

A  abordagem da apresentação foi a apresentação dos resultados que foram obtidos através da aplicabilidade de questionários de conhecimentos básicos da astronomia em diferentes graus de ensino. Foram apresentados o percentual de erros e acertos nos diferentes conceitos abordados, além de comparar os resultados obtidos entre as turmas do 9º ano do Ensino Fundamental e do 3º ano do Ensino médio. Os conceitos sobre Sol-Terra-Lua teve a seguinte assertividade: 31,84% para o 9º ano fundamental e 39,24% para o 3º ano médio; Já os conceitos sobre o sistema solar tiveram a seguinte assertividade: 43,50% para o 9º ano fundamental e 48,75% para o 3º ano médio; enquanto que, os conceitos relacionados a astronomia extra-solar solar tiveram a seguinte assertividade: 47,50% para o 9º ano fundamental e 5437% para o 3º ano médio. Por último, foram apresentadas ações de divulgações científicas realizadas pelo CAILA, a exemplo de observação com telescópio durante a Super-Lua, atividades durante o Asteroid Day, observação solar durante o transito de mercúrio em novembro de 2019, astrofotografias realizadas, além de outras atividades; finalizando com as perspectivas e projetos submetidos para o ano de 2020.

Figura 13: Apresentação da penúltima palestra do evento com evento com Aryelle Carvalho, Victoria de Santana, Alexandre Henrique e o Prof. Douglas Leite (CAILA/IFS-Lagarto), com o tema: “Astronomia Itinerante: Acões de divulgação e práticas da ciência astronômica no centro-sul sergipano”- X SEASE.

Fonte: Foto por Jaelsson

Figura 14: Apresentação da penúltima palestra do evento com evento com Aryelle Carvalho, Victoria de Santana, Alexandre Henrique e o Prof. Douglas Leite (CAILA/IFS-Lagarto), com o tema: “Astronomia Itinerante: Acões de divulgação e práticas da ciência astronômica no centro-sul sergipano”- X SEASE.

Fonte: Foto por Jaelsson

Após uma pausa para coffee break, às 20h02, deu início à última apresentação do evento com a palestrante Thaynara Santos (Bacharelanda em Física – UFS), com o tema: “Asteroid Day 2020: Desafios e Perspectivas”

Nesta apresentação, a palestrante iniciou sua apresentação um vídeo sobre O Meteoro de Cheliabinsk foi provocado por um asteroide que adentrou a atmosfera terrestre sobre a Rússia em 15 de fevereiro de 2013 e deixou mais 900 pessoal feridas, com 5 pessoas em estado grave, além de 1500 casa danificadas por conta da onda de choque provocado pelo meteoro. O vídeo continha “Evento de Tunguska” que foi uma queda de um objeto celeste que aconteceu em uma região da Sibéria, no Império Russo, próxima ao rio Podkamennaya Tunguska em 30 de junho de 1908. A queda provocou uma grande explosão, devastando uma área de milhares de quilômetros quadrados, este último evento foi justificativa da escolha da data para o Asteroid Day, por seus idealizadores: Dr. Brian May (Astrofísico e quitarrista da banda QUEEN) e Danica Remy, presidente da fundação B612, em 2014. Ela mostrou gráficos que mostram a participação do Brasil com eventos  no Asteroid Day em comparação a outros países, além da participação por regiões do nosso país em 2018. No qual o nordeste ficou em segundo lugar, atrás apenas do sudeste. E Sergipe ficou empatado com o Ceará com 6 ações realizadas, na região Nordeste. Tendo a palestrante como coordenadora local naquele ano. Daí, ela comentou o convite e a escolha dela para ser coordenadora nacional do evento em 2020. Ela finalizou a apresentação falando sobre o projeto elaborado, objetivos,  problemáticos e expectativas para sua coordenação em 2020.

Figura 15: Apresentação da última palestra do evento com evento com a palestrante Thaynara Santos (Bacharelanda em Física – UFS), com o tema: “Asteroid Day 2020: Desafios e Perspectivas” – X SEASE.

Fonte: Foto por Jaelsson

Figura 16: Apresentação da última palestra do evento com evento com a palestrante Thaynara Santos (Bacharelanda em Física – UFS), com o tema: “Asteroid Day 2020: Desafios e Perspectivas” – X SEASE.

Fonte: Foto por Jaelsson

Após o final da palestra de encerramento, às 20h37, houve o pronunciamento de encerramento do evento. O presidente da SEASE Ivo Matias agradeceu a todo o público presente pela participação no evento e a todos aqueles que estiveram envolvidos  e colaborou com o evento de alguma forma.

Figura 17: Ivo Matias Campos durante a cerimônia de encerramento da X SEASE, em 01 de Dezembro de 2019.

Fonte: Foto por Jaelsson

Resumo da X SEASE em números:

Participantes:

1º dia: 85 participantes na observação

            25 participantes na palestras (16  homens, 9 mulheres)

2º dia: 45 participantes na palestras (31 homens, 14 mulheres)

3º dia: 15 participantes na palestras (10 homens, 5 mulheres)

6 apresentações de Palestras (Das 6 apresentações 9 pessoas apresentaram, 7 homens e 2 mulheres);

Obs.: Uma das palestras foi apresentada por 4 pessoas (2 mulheres e 2 homens).

Relatório oficial do evento: https://memoriasdaastronomiaemsergipe.wordpress.com/2019/12/14/relatorio-veja-como-foi-a-x-sease/

Versão PDF: Relatório X SEASE_Jaelsson

São Cristóvão, 02 de Dezembro de 2019.

Texto: Jaelsson S. Lima


______________________________________________________________________

Texto: JAELSSON; MAS.

Fontes:  X Semana de Astronomia de Sergipe. SEASE. Disponível em: https://sease.org.br/2019/12/03/como-foi-a-x-sease/ , acesso 14 Dec. 2019. (Conteúdo arquivado no Wayback Machine em 14/12/2019: https://web.archive.org/web/20191214215111/https://sease.org.br/2019/12/03/como-foi-a-x-sease/ ).

X Semana de Astronomia de Sergipe. SEASE. Imagens do evento na Rede Social (FB). Disponível em: https://www.facebook.com/pg/seaseastronomia/photos/?tab=album&album_id=1210797022439536&__tn__=-UC-R, , acesso 14 Dec. 2019. (Conteúdo arquivado no Wayback Machine em 14/12/2019: https://web.archive.org/web/20191214223837/https://www.facebook.com/seaseastronomia/photos/?tab=album&album_id=1210797022439536&__tn__=-UC-R ).